Cirurgia e risco de trombose venosa: fique atento!

1) O que é trombose?


Trombose é um termo genérico para definir a formação patológica de um trombo (ou coágulo) dentro de um vaso sanguíneo. A trombose venosa é aquela que ocorre no sistema venoso, estando relacionada com cirurgia. A trombose arterial é uma entidade patológica distinta, tendo relação com o infarto agudo do miocárdio.


2) Qual a relação entre cirurgia e trombose venosa?


O paciente submetido a cirurgia com anestesia geral em ambiente hospitalar é exposto a várias situações que contribuem para o aumento do risco de trombose venosa. Imobilização, tempo de internação prolongada, uso de acessos intravenosos e o próprio processo inflamatório inerente ao trauma cirúrgico são algum destes fatores. Estima-se que o paciente cirúrgico possuiu uma chance 150 vezes maior de desenvolver trombose venosa quando comparado com a população em geral.


3) Quais os principais fatores de risco para a ocorrência de trombose venosa?


Existe uma grande quantidade de fatores que podem aumentar o risco mas os de maior relevância clínica são: paciente com história de trombose (ou familiar próximo), idade avançada, obesidade, algumas doenças que alteram a coagulação (ex: fator V de Leiden) e cirurgia recente.


4) Eu ouvi dizer que o uso de anticoncepcionais aumenta muito o risco de trombose venosa, é verdade?


Não. O uso de anticoncepcionais isoladamente é considerado um fator de risco menor pela literatura médica atual. Entretanto é importante individualizar o risco porque o tipo e a dose do anticoncepcional assim como o tempo de uso podem aumentar mais o risco de trombose. A comunicação entre o seu cirurgião e o ginecologista é importante na individualização do risco.


5) Quando suspeitar que estou com trombose após uma cirurgia?


A trombose venosa ocorre com maior incidência nos membros inferiores (especialmente panturrilha), manifestando-se clinicamente como dor incomum nas pernas acompanhada ou não de inchaço e/ou vermelhidão. Uma complicação da trombose - chamada de tromboembolismo pulmonar - é a situação na qual o coágulo se desprende e "cai" na circulação sanguínea, impactando no pulmão. Os sintomas podem ser diversos mas o mais comum é uma súbita falta de ar e dor torácica. Caso você tenha qualquer um destes sintomas no período pós-operatório avise seu cirurgião imediatamente!


6) O risco de desenvolver trombose depois de uma cirurgia bucomaxilofacial é alto? O que fazer? É perigoso?


De um modo geral a ocorrência de trombose venosa após cirurgia bucomaxilofacial é rara. Entretanto é preciso um rigoroso acompanhamento médico no caso de uma suspeita clínica. A prevenção já começa antes da cirurgia quando é feito a individualização do risco e as medidas preventivas necessárias (medicações, uso de meias compressivas, etc...). O tromboembolismo pulmonar é uma condição muito rara mas tratada como emergência médica e portanto podendo levar o paciente a óbito.


Todos os pacientes tratados pela nossa Equipe tem seu risco individualizado baseado nos principais guidelines sobre o tema em especial o do Colégio Americano de Cirurgia Torácica.










Últimas Postagens
Tags
No tags yet.

Odontologia Estética Cirurgia Bucomaxilo em Santos

  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon

© 2020  guimaraesodontologia.com.br  |   digitalconsultant

Consultoria Web